segunda-feira, 29 de junho de 2009

VECTRA GTX, TOP DE LINHA, ANO 2007, PEGA FOGO NA RODOVIA CASTELO BRANCO

Para quem pensa que o problema dos vectras incêndiando/explodindo é apenas do modelo antigo, ledo engano. Em 28.11.2008, um VECTRA GTX, é aquele mesmo, modelo Hatch, mas só que o top de linha, com tudo que o dinheiro pode pagar, ano de fabriação 2007, PEGOU FOGO na Rodovia SP 280, mais conhecida como Castelo Branco, no quilômetro 066.
Consta no Boletim de Ocorrência da Polícia Rodoviária de São Paulo, n. 03423441, que de acordo com as declarações do proprietário do veículo ele estava trafegando normalmente pela rodovia quando de repente o automóvel desligou, parou no acostamento e observou que já estava em chamas a parte frontal do veículo. Por sorte ele e a esposa que estava de passageira não sofreram maiores consequências só mesmos danos materiais, se você quer maiores informações veja aqui!!

Se você é VÍTIMA ou conhece alguma VÍTIMA que teve o seu veículo VECTRA incendiado sem qualquer motivo aparente, poste o seu comentário que entraremos em contato. Somento uma sociedade consciente e unida faz valer seus direitos.

sexta-feira, 19 de junho de 2009

O DESRESPEITO COM O CONSUMIDOR BRASILEIRO VAI ACABAR?

Os grandes grupos econômicos ainda usam o seu poder para intimidar aqueles que se levantam contra seus interesses e, infelizmente, mesmo sendo uma situação de evidente desrespeito ao consumidor brasileiro, somada a omissão das autoridades competentes que beira à prevaricação, a GM agora tenta negar a ocorrência dos fatos. Negue isso GENERAL MOTORS!!!


video


A omissão da GM em casos de recall no Brasil não é nova. Rodolfo Rizzotto, editor do site www.estradas.com.br, denuncia em seu livro “Recall – 4 milhões de carros com defeito de fábrica”, que em outubro de 2000 a General Motors veio a público, apesar de conhecer o problema a mais de um ano, anunciar o recall do cinto de segurança do Corsa e admitiu ter ciência de 25 acidentes em que o cinto de segurança se desprendeu do respectivo suporte, sendo que em pelo menos dois casos, houve vítimas fatais. Conta Rizzotto que o Ministério Público de São Paulo denunciou os diretores da GM por crime contra as relações de consumo consistente na demora deliberada em proceder ao recall de veículo automotor. Esta foi a primeira denúncia do gênero que se tem notícia no Brasil. Em razão da pena prevista para este tipo de crime foi realizada transação penal. O Ministério Público propôs aos supostos autores da infração penal de menor potencial ofensivo a aplicação de pena não privativa de liberdade, sem a necessidade de instauração de processo penal convencional, acrescenta o autor. Os executivos da GM indiciados criminalmente aceitaram, de forma livre e consciente, a proposta de pena alternativa apresentada pelo Ministério Público, o que pode ser interpretado como reconhecimento de culpa, prossegue. Em 17 de outubro de 2002, a Dra. Cláudia Lúcia Fonseca Fanucchi, Juíza de Direito da 2 Vara Criminal de São Caetano do Sul - SP, cidade-sede da General Motors, homologou a transação penal em que ANDRÉ BEER, JOSÉ CARLOS DA SILVEIRA PINHEIRO NETO, YASUFUMI OKI, JOSÉ ROBERTO FAVARIN, CARLOS ROBERTO BUECHLER, FREDERICK ARTHUR HENDERSON, WILLIAM MARK SCHIMITZ e DAVID WALTER MELINE, os três últimos residentes no exterior, aceitaram pagar prestação pecuniária variando entre R$ 12.000,00 (doze mil reais) e R$ 10.000,00 (dez mil reais), conforme a responsabilidade de cada um. A única exceção foi ANDRÉ BEER, cujo advogado requereu, com sucesso, extinção da punibilidade pela prescrição da pretensão punitiva, em virtude de ter mais de 70 (setenta) anos de idade. A General Motors do Brasil, por sua vez, se comprometeu a doar 22 (vinte e dois) veículos modelo Celta a entidades assistenciais definidas pelo juízo.


Quantas pessoas serão vítimas do incêndio/explosão do VECTRA até que algo seja feito?


Se você é VÍTIMA ou conhece alguma VÍTIMA que teve o seu veículo VECTRA incendiado sem qualquer motivo aparente, poste o seu comentário que entraremos em contato. Somento uma sociedade consciente e unida faz valer seus direitos.